Geometria Sagrada

Geometria Sagrada: Sólidos Platônicos

O termo “geometria sagrada” é usado por arqueólogos, antropólogos e geômetras para englobar as crenças religiosas, filosóficas e espirituais que surgiram em torno da geometria em várias culturas ao longo da história humana. A geometria sagrada envolve padrões universais sagrados usados nas projeções de tudo em nossa realidade, mais freqüentemente visto na arquitetura e na arte sagrada. A crença básica é que a geometria e as proporções matemáticas e harmônicas também são encontradas na música e na cosmologia. Este sistema de valores foi visto como difundido mesmo na pré-história, reprensentando uma cultural universal da condição humana.

Durante primeira aparição da civilização humana, observamos a presença e a importância da geometria. É claramente evidente que as culturas antigas (celtas, druidas, egípcios, cavaleiros templários, etc …) e povos aborígenes (maia, hopi, etc …) estavam muito conscientes dessas assinaturas geométricas e frequências numéricas.

Por isso a geometria foi compreendida e utilizada pelos antigos mestres construtores, que, trabalhando no início da civilização, há cerca de quatro milhes de milênios, atribuíram ao mundo tais obras-primas como as estruturas megalíticas da Europa antiga, as pirâmides e os templos do Egito faraônico e os ziguratas escalonados da Sumeria. Essa geometria continuou a ser empregada ao longo dos séculos desde os primeiros tempos até que os tempos historicamente recentes.

Os sólidos platônicos

Os sólidos platônicos são formas que fazem parte da geometria sagrada. Eles foram primeiramente catalogados pelo filósofo Platão (427-347AC), que escreveu sobre esses sólidos em seu tratado o Timeu. Porém existem evidências dessas formas que foram encontrada em todo o mundo por volta de 1.000 anos antes da documentação de Platão.

Os gregos ensinaram que esses cinco sólidos eram os principais padrões de criação física. Quatro dos sólidos foram vistos como os padrões arquetípicos por trás dos quatro elementos (terra, ar, fogo e água), enquanto o quinto foi considerado o padrão por trás da própria força vital, o éter ou o universo.

Na teoria da “Harmonia das Esferas“, proposta por Platão, ele compartilhou a sua crença de que os segredos do universo são matemáticos e seus números, em que ele imaginava como os cinco “sólidos perfeitos” são representados por esferas imaginárias, cada uma colocada dentro da outra. Ele propôs que as distâncias dos planetas até o sol apresentam proporções similares uma as outra como as esferas que cercam cada sólido.

fOibGjQ.gif

Os pitagóricos achavam que os corpos celestes estavam separados uns dos outros por intervalos correspondentes aos comprimentos harmônicos das cordas, e por isso sustentavam a idéia de que o movimento das esferas dá origem a um som musical chamado” Harmonia das Esferas”. A ciência moderna mostrou que os planetas possuem “vibrações” únicas, ou “sons” que suportam a conjectura de Platão.

Existem cinco sólidos platônicos e os mesmos são compostos por “cinco polyheiras regulares convexas”: hexaedro (cubo-6 faces), octaedro (pirâmide invertida dupla- 8 faces), tetraedro (pirâmide-4 faces), Icosoedro (20 faces) e dodecaedro (12 faces). Os nomes são derivados do número de lados que cada forma possui: 4, 6, 8, 12 e 20, respectivamente.

Essas formas predominaram nas centenas de petrosferas pré-históricas esculpidas encontradas na Escócia, datadas com mais de mil anos antes da conjectura de Platão. Essas formas são agora compreendidas por estarem intimamente relacionadas aos arranjos de prótons e nêutrons nos elementos da tabela periódica.

Os 5 sólidos platônicos são ideais, modelos primários de padrões cristalinos que ocorrem no mundo dos minerais em inúmeras variações. Estes são os únicos cinco poliedros regulares, isto é, os únicos cinco sólidos feitos a partir dos mesmos polígonos equiláteros e equiangulares.

The Golden Ratio – The Divine Scale

A proporção aurea descreve a relação especial encontrada na natureza entre duas partes de um todo. A mesma pode ser descrita em termos de número, comprimento, área, volume e, em até certo ponto, em termos de beleza e consciência. Nós somos um reflexo microcósmico do macrocosmo. A estrutura do corpo humano baseia-se no mesmo conjunto de princípios que são encontrados funcionando em todos os níveis da criação. Nosso corpo contém dentro dele toda a informação do universo holograficamente.

As formas que formam os cinco sólidos platônicos originais ocorrem naturalmente na natureza e, de fato, no mundo cristalino. Acredita-se que trabalhar com elas individualmente pode nos ajudar em nossa conexão com a natureza e com os reinos mais elevados do cosmos; a encontrar o padrão comum que nos liga ao todo tanto a nível molecular como espiritual.

Iniciação ao entendimento

  • O mundo é composto por ondas e proporções sagradas.
  • A geometria produz uma simetria. As ondas se organizam e armazenam memória através da proporção aurea – o segredo do universo e o princípio científico puro mais preciso para descrever como as coisas se relacionam e funcionam, evoluem, mudam e se manifestam.
  • As ondas se alinham automaticamente pela geometria sagrada criando a força da vida.
  • O universo é fractal.
  • A entrada da percepção é unir holograficamente todos os processos da vida – passado, presente e futuro.

Tetraedro

O Tetraedro, também chamado de pirâmide triangular, contém 4 faces, 4 vértices e 6 bordas. Cada face é triangular. O tetraedro representa o elemento de fogo e está ligado ao chakra do plexo solar, o centro do poder pessoal e da aceitação. O tetraedro cria o equilíbrio natural entre o físico e o espiritual e simboliza a estabilidade, já que todos os seus lados sao planos

Cubo ou Hexaedro

O hexaedro (também chamado de cubo) é o segundo dos cinco sólidos platônicos. O hexaedro tem 6 faces quadradas, 8 vértices e 12 bordas. O hexaedro está associado ao elemento terra e corresponde ao chakra raiz.  Meditar com esta forma ajuda a manter o foco, a remover a tensão e a diminuir os estresses físicos. O cubo ajuda na reconexão das energias com aquelas vindas da terra e da natureza.

Octaedro

O terceiro dos sólidos platônicos, o octaedro, possui 8 lados triangulares, 6 vértices e 12 bordas e simboliza o elemento ar. O octaedro está ligado ao chakra do coração o centro do amor e da compaixão. Este chakra é onde nós acessamos os nossos aspectos de cura e nutrição e onde encontramos a aceitação e o perdão. A forma auto-refletida do octaedro se move em uma vibração mais alta de reflexão, compaixão e cura. Ao trabalhar com o octaedro, nós nos sintonizamos com a natureza mais espiritual de nós mesmos e começamos a entender a nossa verdadeira natureza

Dodecaedro

O dodecaedro tem 20 faces, 12 vértices e 30 bordas. Cada face é moldada na forma de um pentágono. O dodecaedro está ligado aos Éteres / Universo e trabalha através dos chakras superiores, como o chakra do terceiro olho e o chakra da coroa. Ele é uma ferramenta perfeita para ser usada na meditação, pois a energia mantida dentro dessa forma sagrada pode elevar a sua vibração para facilitar a conexão com o seu Eu Superior. O dodecaedro é uma expressão da vida e da consciência, que nos permite ir além das vibrações do corpo físico e nos reconectar-mos com as vibrações mais altas de nossa verdadeira natureza.

Icosaedro

O icosoedro tem 12 faces, 20 vértices e 30 bordas. Cada face tem a forma de um triângulo equilátero. O icosaedro está associado ao elemento água e corresponde ao chacka da coroa. A água simboliza movimento, fluxo e mudança. Esta forma pode ajudar no melhoramento do processo de pensamento criativo e na remoção de bloqueios emocionais das energias criativas. O icosaedro é uma ferramenta que nos ensina a “ir com o fluxo”; permitindo a liberdade de expressão, a criatividade e as mudanças positivas fluindo sem esforço através de nós.

© 2018 Poder do Eu Superior. Aviso de direitos autorais: este conteúdo está protegido por direitos autorais e outras leis de propriedade intelectual. Você não pode reproduzir, republicar, executar, vender ou usar qualquer conteúdo contido nesta postagem sem autorização expressa por escrito.

3 comentários em “Geometria Sagrada: Sólidos Platônicos

  1. Pingback: O mapa de Nikola Tesla & o mistério do código 9 – Poder do Eu Superior

  2. Pingback: Geometria sagrada: o cubo de Metatron – Poder do Eu Superior

  3. Pingback: Geometria Sagrada: Merkaba -Veículo de luz ao hiperespaço – Poder do Eu Superior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: