Sonhos Lúcidos

A física quântica dos fenômenos paranormais | Os sonhos premonitórios

Ao longo da história, indivíduos relataram fenômenos psicológicos que desafiaram a compreensão em termos da teoria dominante de um universo newtoniano. Porém, décadas de experimentos sobre tais fenômenos, estão confirmando a existência de algum tipo de relação “não-local” através das barreiras ou distâncias perceptivas significativas, e até mesmo através do tempo.

A precognição é a capacidade de perceber ou ver um futuro antes que ele aconteça. O termo “precognição” é derivado do latim “prae” que significa “antes de” e “cognição” que significa “adquirir conhecimento”. Os eventos precognitivos geralmente aparecem para os indivíduos como uma visão instantânea ou espontânea, quando em um estado desperto, uma pessoa pode receber um cenário mental curto e intenso.

Pesquisas sugerem que o acesso ao futuro através dos sonhos é possível porque o cérebro está em um estado de atividade acelerada durante o sono. Durante um estado acelerado de consciência onírica, o futuro se aproxima do presente e o sonhador chega no futuro em menos tempo do que aqueles que estão acordados. Em outras palavras, assim como o aumento da velocidade causa uma contração do espaço-tempo, diminuindo assim a distância entre o presente e o futuro, a consciência acelerada do sonho tem o mesmo efeito.

Segundo os físicos quânticos, nos sonhos todos os mundos são simultaneamente possíveis e estão em paralelo. Esses muitos mundos incluem os do futuro e do passado, onde o tempo e o espaço estão sobrepostos, todo resultado é igualmente provável, e o mundo está continuamente se dividindo em mundos alternativos. Assim, os muitos mundos da consciência do sonho fornecem a base para a premonição, onde o sonhador pode sonhar com o futuro pouco antes dele ocorrer e ao acordar daquele sonho do futuro, a mente consciente pode se lembrar disso e depois experimentá-lo em tempo real.

É geralmente assumido que a flecha do tempo voa do presente para o futuro, no entanto, a mecânica quântica e a relatividade predizem que a flecha do “agora” é do futuro para o presente e depois para o passado.

Leitura:

-Carpenter, J. C. (2004). First sight: part one, a model of psi and the mind. Journal of parapsychology, 68(2).

-Taylor, J. (2007). Memory and Precognition. Journal of scientific exploration, 21(3): 553-571.

-Bernstein, P. et al. (2011). Non-Locality, Cognition, and Cosmic Structures. Journal of cosmology, 14.

-Wilson, I. (2011). Déjà Rêvé?

-Whitworth, B. (2011). The Virtual Reality Conjecture, Prespacetime Journal: 2(9).

-Megidish, E. et al. (2012). Entanglement Between Photons that have Never Coexisted, Racah Institute of Physics, Hebrew University of Jerusalem.

-Peter Byrne (2013). The Many Worlds of Hugh Everett Iii: Multiple Universes, Mutual Assured Destruction, And The Meltdown Of A Nuclear Family. Oxford University Press

-Rhawn, G. J. (2014). The Sixth Dimension: Dream Time, Precognition, Many Worlds. Journal of cosmology, 18.

-Dudeja, J. (2019). Future is not separate from the present or the past: Can temporal nonlocality in Quantum Entanglement explain Retrocausality (effect preceding the cause), Precognition and Déjà vu? Journal of Emerging Technologies and Innovative Research, 6: (5).

© 2019 Poder do Eu Superior. Aviso de direitos autorais: este conteúdo está protegido por leis de direitos autorais e outras leis de propriedade intelectual. Você não pode reproduzir, republicar, executar, vender ou usar o conteúdo contido nesta postagem sem autorização expressa por escrito.